Pesquisadores do PPGJor participam de evento sobre comunicação cidadã

22/06/2021 14:29

Organizada pela Associação Brasileira de Pesquisadores e Comunicadores em Comunicação Popular, Comunitária e Cidadã (ABPCom), a 15ª Conferência Brasileira de Comunicação Cidadã/Mídia Cidadã tem como tema central “Comunicação Cidadã: gênero, raça, diversidade e redes colaborativas no contexto da pandemia” e acontece em formato virtual nos dias 22, 23 e 24 de junho. Discentes de mestrado e doutorado do PPGJOR participam do evento com dois trabalhos inscritos no GT 1 Meios e processos de comunicação para a cidadania.

O primeiro trabalho é o dos doutorandos Marisvaldo Lima, Lynara Ojeda e Gabriela Cavalcanti, que tem como título “Aquilombar a comunicação: iniciativas de construção de uma prática jornalística em coletividades pretas”, que será apresentado na Sessão 1: Potência das Vozes, que acontece dia 23 de junho, das 13h30 às 15h.

O segundo trabalho, intitulado “Jornalismo e Ação Comunitária (JAC) e o desafio da produção jornalística colaborativa na pandemia”, escrito por Gabriela Schander e Juliana Freire, em coautoria com os estudantes de graduação em Jornalismo Diogo Ferreira, Rafaela Coelho e Klaymara Silva e a professora Melina Ayres, do Departamento de Jornalismo, será apresentado na Sessão 4: Espaços para Atuar, que acontece dia 24 de junho, das 15h30 às 17h.

Os autores do segundo trabalho participam também da Mostra de Vídeo Cidadã/Feira Cidadã, com a produção “Jornalismo e Ação Comunitária (JAC) produzindo conteúdo com comunidades periféricas de Florianópolis”, que será exibida durante a programação cultural do evento.

Mais informações sobre a 15ª Conferência Brasileira de Comunicação Cidadã/Mídia Cidadã pobre ser obtidas aqui. Inscrições na modalidade ouvintes podem ser realizadas aqui.

Tags: Eventosmestrandos e doutorandospesquisa em jornalismo

Artigo de doutoranda e egressa é publicado na RBHM

06/04/2021 10:22

A Revista Brasileira de História da Mídia – RBHM acaba de publicar a segunda edição de 2020. Dentre os trabalhos que integram o número está o artigo “Ambiente Vivo e Unijuí FM, uma trajetória em defesa do ambiente natural nas ondas do rádio”, de autoria da doutoranda Janaíne Kronbauer e da egressa do mestrado do PPGJOR-UFSC, Juliana Gomes.

O artigo aborda o programa radiofônico Ambiente Vivo, voltado às discussões em torno do ambiente natural e veiculado até 2013 na emissora de rádio universitária educativa Unijuí FM. Por meio de um estudo de caso, as autoras reconstroem a memória sobre a constituição do programa e a sua posição em defesa do meio ambiente desde seu início, em 2001. Com postura pioneira, o programa voltava-se à discussão e problematização sobre questões ambientais na região Noroeste do Rio Grande do Sul.

A mais recente edição da RBHM também apresenta um dossiê sobre história da mídia e saúde, e pode ser acessada aqui.

Tags: egressosmestrandos e doutorandospesquisa em jornalismopublicações

Pesquisa investiga perfil do jornalista brasileiro

01/03/2021 09:44

Pesquisadores da Rede de Estudos sobre Trabalho e Identidade dos Jornalistas (RETIJ), vinculada à Associação Nacional dos Pesquisadores em Jornalismo (SBPJOR), e dos programas de pós-graduação em Sociologia e Ciência Política (PPGSP) e em Jornalismo (PPGJOR) iniciam neste mês uma ampla investigação que vai determinar o perfil do jornalista brasileiro. O estudo pretende atualizar o levantamento de 2012, que foi o mais amplo já feito no país sobre o tema.

Os dados de 2012 detalham características demográficas, políticas e de trabalho dos três segmentos principais da categoria: na mídia, fora da mídia e em docência. Para fins comparativos, boa parte do questionário de pesquisa será mantido, mas podem haver mudanças e a inclusão de novos blocos de questões.

A primeira pesquisa foi respondida por 2.731 jornalistas, de todas as Unidades da Federação (estudo por amostragem, com 95% de grau de confiança e margem de erro inferior a 2%). Foi possível observar diversas constatações importantes sobre quem é o jornalista brasileiro, como a predominância feminina (64% da categoria), apesar da maior parcela de homens nos cargos de chefia.

Além de atualizar esses dados, o estudo de 2021 pretende ir além. O objetivo é contribuir com, pelo menos, três novos temas de enorme importância para a categoria profissional: a precarização do trabalho jornalístico; as condições de saúde laboral; os efeitos das inovações tecnológicas nos saberes e fazeres da profissão.

A pesquisa conta com o apoio institucional das seguintes entidades: Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Associação Profissão Jornalista (APJor), Associação Nacional de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJOR) e Associação Brasileira de Ensino de Jornalismo (ABEJ). Conta ainda com o apoio, na divulgação e mobilização da rede de respondentes, da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (INTERCOM).

O site da pesquisa “Perfil do Jornalista Brasileiro 2021: características sociodemográficas, políticas, de saúde e do trabalho” pode ser acessado aqui.

Mestrandos e doutorandos do PPGJOR e os professores Jacques Mick e Rogério Christofoletti fazem parte da equipe de pesquisa, coordenada pelo também professor Samuel Lima.

Tags: pesquisa em jornalismopesquisasPPGJor

Egressa e doutoranda publicam artigo na revista Alterjor

04/02/2021 12:31

A primeira edição de 2021 da revista Alterjor, da Universidade de São Paulo (USP), acaba de ser publicada e traz um artigo de pesquisadoras do PPGJOR. “Um relato de experiência do Projeto Elas SobreOTatame: impactos de um ciberativismo feminista” é assinado pela doutora Ingrid Pereira de Assis, egressa do programa, e pela doutoranda Juliana Gobbi Betti, ao lado das jornalistas e pesquisadoras Larissa Silva Abreu (UFMA) e Joceline Conrado da Silva (PUC-PR).

O artigo relata pesquisa com as participantes dos eventos ocorridos em 2019 no Projeto SobreOTatame, e o objetivo foi compreender os impactos da iniciativa na vida dessas mulheres. Foi aplicada uma entrevista semiestruturada para perceber a compreensão da emancipação, autonomia e formação de conhecimento acerca das temáticas abordadas.

O volume 23 número 1 da revista, com um dossiê sobre jornalismo popular e alternativo, pode ser acessado aqui na íntegra.

Tags: egressosmestrandos e doutorandospesquisa em jornalismopublicações

Karina Woehl de Farias defende tese sobre migração do AM ao FM no rádio catarinense

14/12/2020 11:32

A doutoranda Karina Woehl de Farias defende a tese: “Do AM para o FM: adaptações do radiojornalismo na migração de dial em Santa Catarina”. No formato online, a banca ocorre amanhã, 15. O trabalho é a primeira tese de doutorado em radiojornalismo do PPGJOR/UFSC.

A pesquisa discute um dos principais fenômenos do meio na atualidade e reflete as transformações e continuidades na programação radiojornalística com a troca de dial, com o olhar para Santa Catarina. O estudo aponta caminhos e tendências do rádio, que agora transfere-se para o FM.

A tese orientada pela professora Valci Mousquer Zuculoto e terá como banca avaliadora os professores Nair Prata (UFOP), Eduardo Meditsch (UFSC) e Cárlida Emerim (UFSC).

A sessão inicia às 15 horas, via plataforma Conferência Web, e pode ser acessada neste link. Mestrandos e doutorandos do Programa poderão assinar a lista de presença aqui.

Tags: Defesasmestrandos e doutorandospesquisa em jornalismo

Jessica Gustafson vence o Prêmio Francisco Morel, da Intercom

09/12/2020 19:16

A doutoranda do PPGJOR Jessica Gustafson Costa venceu a edição 2020 do Prêmio Francisco Morel concedido pela Intercom. O prêmio destaca pesquisas de mestrado, apresentadas nos grupos de pesquisa da entidade durante seu encontro anual. Jessica era uma das três finalistas e venceu com o trabalho “Conhecimentos Localizados no Jornalismo: Uma proposta de sentido de objetividade que potencialize os projetos feministas”. O anúncio foi feito na noite de hoje, 9, durante o 43º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, realizado pela internet com organização da UFBA.

“É com muita alegria que recebo o prêmio Francisco Morel, da Intercom, evento que participo sempre e que tem um importante papel na minha formação como pesquisadora, sempre possibilitando que nossos trabalhos sejam debatidos junto aos colegas, promovendo novas e boas reflexões”, disse. “Fico ainda mais feliz por ser especificamente esse artigo, que trata sobre a construção de uma perspectiva feminista dentro do jornalismo, reconhecendo a importância da articulação entre as teorias do campo e os estudos de gênero”.

Jessica concluiu seu mestrado em junho de 2018, quando foi orientada pela professora Daiane Bertasso Ribeiro. No mesmo ano, ingressou no doutorado, onde permanece pesquisando. Em 2019, ela lançou o livro “Jornalistas e Feministas: a construção da perspectiva de gênero no jornalismo” (Ed. Insular). Atualmente, Jessica Gustafson Costa é também professora substituta no Departamento de Jornalismo da UFSC.

Tags: mestrandos e doutorandospesquisa em jornalismoprêmios

Egresso do PPGJOR lança livro que cria nova categoria de infográficos

16/10/2020 08:11

O professor e doutor em Jornalismo pelo PPGJOR, William Robson Cordeiro, lança o seu livro “Hiperinfografia – A Visualização da Informação Jornalística Mais Sofisticada”, na edição 2020 do Congresso da SBPJOR. A obra destaca as transformações passadas pela visualização sintética no jornalismo, especialmente os infográficos, e propõe uma categoria de formato totalmente inédita. É o resultado de sua tese defendida em outubro de 2019,  que passa a compor a nova coleção da Editora Insular.

O livro tem 414 páginas é faz parte do segundo volume da série Novas Diretrizes, dirigida pelo professor Samuel Lima. “Hiperinfografia – A Visualização da Informação Jornalística Mais Sofisticada” tem prefácio da professora Raquel Ritter Longhi, que também foi a orientadora do autor no doutorado, e também integra o Selo Nephi-Jor, publicações do grupo Hipermídia e Linguagem/CNPq.

Neste livro, o hiperinfográfico é apresentado, definido e analisado de forma minuciosa, num trabalho de investigação que se vale de uma metodologia reunindo levantamento teórico, estudo de casos múltiplos e ainda um esquema de análise construído pelo próprio autor, a Matriz de Análise Hiperinfográfica, além de trazer entrevistas com importantes profissionais da área de visualização da informação tanto do Brasil, quanto da Europa e dos Estados Unidos.

“A rigor, a infografia não para de evoluir (e, talvez, nunca vai parar). Ao acompanharmos o seu ciclo de desenvolvimento retratado em estágios evolutivos, percebemos que a constatação quase unânime dos pesquisadores volta-se à dinamicidade do formato, ou seja, as mudanças ocorridas no gênero ao longo dos tempos. Da mesma maneira que o jornalismo enfrenta importantes transformações, sobretudo no contexto da internet, seus gêneros, a exemplo dos infográficos, não ficaram incólumes, mas também acompanharam o ritmo da evolução”, diz o autor da obra.

A orientadora e pesquisador Raquel Longhi ressalta a importância deste estudo para o campo: “Com este livro que o leitor tem em mãos, Cordeiro traz avanços. E o faz especialmente considerando o cenário contemporâneo de evolução e utilização das tecnologias que permitem maior imersão nos conteúdos jornalísticos, aí incluídas a Realidade Virtual e a Realidade Aumentada”.

Tags: egressoslivrospesquisa em jornalismo

Pesquisadores do PPGJOR levam 2 prêmios e 2 menções honrosas no PAGF 2020

13/09/2020 21:30

O Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da UFSC foi o grande vencedor da 15ª edição do Prêmio Adelmo Genro Filho de Pesquisa em Jornalismo, concedida pela principal sociedade científica da área, a SBPJOR. As pesquisas desenvolvidas e orientadas por professores do PPGJOR foram destaque em quatro das cinco categorias, e os investigadores locais levaram dois prêmios e duas menções honrosas.

Orientada pelo professor Jacques Mick, Janara Nicoletti venceu na categoria Doutorado. A tese “Reflexos da precarização do trabalho dos jornalistas sobre a qualidade da informação: proposta de um modelo de análise” foi defendida em dezembro do ano passado e foi apontada como a melhor do Brasil.

Na categoria Mestrado, “O Jornalismo das periferias de São Paulo entre a experimentação e a atualização de práticas convencionais”, de Luisa Tavares e também orientada por Jacques Mick mas no Programa de Pós em Sociologia Política, recebeu menção honrosa. O trabalho vencedor foi “Jornalismo Live Streaming: um estudo das apropriações jornalísticas da tecnologia de transmissão audiovisual ao vivo no Facebook”, de Alexandro Mota da Silva, da UFBA, orientado por Marcos Palacios.

A professora do PPGJOR, Daiane Bertasso, orientou o melhor trabalho de iniciação científica. “Quem são as mulheres em Claudia? Os sentidos no discurso da revista feminina ao longo de uma década (2009-2019)” é de autoria de Amanda Regina Rosa, e levou o prêmio de IC.

Na categoria Pesquisa Aplicada, as professoras Rita Paulino, Cárlida Emerim e Valci Zuculoto receberam menção honrosa pelo projeto “#Jorconvergente: teoria e prática aplicada em tecnologia progressive web apps (pwa)”. Na categoria, não houve vencedor e apenas a menção honrosa às pesquisadoras do PPGJOR.

Na categoria sênior, a professora Sonia Virginia Moreira (UFRJ/UFJF) foi a distinguida.

Os resultados do PAGF 2020 foram anunciados na noite de hoje, 13, pela coordenadora Marli dos Santos. Neste ano, houve novo recorde de participação. Foram avaliados 142 trabalhos de todas as regiões brasileiras, 71% a mais que em 2019. Vencedores e destacados participarão da sessão especial durante o 18º Encontro da SBPJOR, que acontecerá de 3 a 6 de novembro, pela internet.

Tags: mestrandos e doutorandospesquisa em jornalismoprêmiosprofessores

Pesquisadores do PPGJOR apresentam trabalhos no seminário da ABRAJI

10/09/2020 08:00

A programação do 7º Seminário de Pesquisa em Jornalismo Investigativo conta este ano com dois trabalhos de pesquisadores do PPGJOR. Com todas as apresentações on-line e ao vivo, o evento ocorre hoje, 10, antecipando a abertura do 15º Congresso da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (ABRAJI). Os artigos fazem parte das 15 propostas selecionadas por pareceristas.

O professor Samuel Lima e o jornalista Matheus de Moura (egresso do curso de Jornalismo/UFSC) apresentam o artigo intitulado “Livro-reportagem e Metodologia da Reportagem Investigativa”, no qual descrevem uma experiência pedagógica de investigação jornalística, que transcendeu os limites da sala de aula e ganhou espaço no mercado editorial. Trata-se do livro-reportagem “O coronel que raptava infâncias”, narrando a vida de Pedro Chavarry, coronel da Polícia Militar carioca, envolvido em crimes de abuso sexuais contra menores e outros delitos hediondos – que é resultado de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Moura, em jornalismo (UFSC, 2019) . O livro será publicado por uma das maiores editoras comerciais do país, no primeiro semestre de 2021. O texto parte do problema de pesquisa “Quais os caminhos pedagógicos para o ensino da metodologia da reportagem investigativa nas faculdades de jornalismo, na perspectiva da produção de livro-reportagens?” e tem como objetivo geral refletir e descrever uma experiência pedagógica de investigação jornalística, notadamente quanto à metodologia da reportagem.

Os doutorandos Magali Moser e Rafael Rangel Winch apresentam o trabalho intitulado Tensionamentos de fazeres e condutas da reportagem investigativa na série documental “Em nome de Deus”. O estudo é baseado na série documental lançada pela Globoplay, que apresenta relatos inéditos sobre os crimes sexuais cometidos pelo médium João de Deus. Devido aos impactos que gerou e por demonstrar parte do percurso da elaboração, a série se mostra relevante por evidenciar o potencial do jornalismo em investigar e revelar injustiças sociais, abusos de poder e direitos humanos. A discussão teórica se ancora em três eixos temáticos: a reportagem investigativa em televisão, as fontes testemunhais e os discursos de autolegitimação jornalística. Com foco no produto, é possível acessar concepções e modos de compreender valores e práticas jornalísticas expostos na série e problematizá-los teoricamente. Metodologicamente, a pesquisa inspira-se em procedimentos da Análise Crítica da Narrativa, proposta pela professor Luiz Gonzaga Motta.

O Seminário acontece das 9h55 às 20h. Pela manhã, serão dois blocos de apresentações, e à tarde, três. Cada bloco é composto por  três apresentações, cada uma com 15 minutos de duração.  Ao final de cada bloco, haverá 30 minutos para debate.

Para mais informações, acesse: https://congresse.me/eventos/seminarioabraji

Tags: Eventosmestrandos e doutorandospesquisa em jornalismoprofessores

Live: Jacques Mick debate mudanças no trabalho dos jornalistas

08/09/2020 11:30

As mudanças no mercado de trabalho dos jornalistas são tema de debate promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Ceará hoje (8/9), às 18h, com participação da presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Maria José Braga, do editor do Sistema Verdes Mares de Comunicação, William Santos, e do professor do PPGJOR, Jacques Mick. A mediação será do coordenador da Rede de Estudos sobre Trabalho e Identidade Profissional dos Jornalistas da Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo, Edgard Patrício, professor da UFC.

O debate será transmitido ao vivo pelo canal no YouTube do Curso de Jornalismo UFC.

Tags: jornalismolives na pandemiapesquisa em jornalismoprofessores
  • Página 2 de 3
  • 1
  • 2
  • 3