UFSC » Programa de Pós-Graduação em Jornalismo

Nova edição de “Jornalismo, Ética e Liberdade”
Publicado em 27/09/2014 às 15:54

capa_karam
A Summus Editorial lançou em setembro, em São Paulo, a quarta edição do livro “Jornalismo, Ética e Liberdade”, do prof. Francisco José Castilhos Karam, atualmente coordenador do programa de Pós-Graduação em Jornalismo. Originalmente publicado em 1997, a nova edição, atualizada, revê partes de capítulos anteriores e  inclui análises sobre a Sociedade da Informação e do Conhecimento e sobre a nova etapa do jornalismo diante das redes sociais, do ciberespaço e do novo papel da reportagem. Karam, que integra o Departamento de Jornalismo da UFSC desde 1984, publicou, também pela Summus, “A ética jornalística e o interesse público” e participou de programas de jornalismo em Cuba, Estados Unidos, Espanha e Argentina, integrando, atualmente, o Grupo de Pesquisa Observatório da Ética Jornalística – objETHOS.

 

GIPTele lança segundo livro
Publicado em 25/09/2014 às 22:51

capa_livrotelejornalismo1O Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Telejornalismo, o GIPTele, está lançando o segundo livro que reúne alguns resultados das pesquisas do grupo e da interlocução deste com diferentes pesquisadores, parceiros que integram a Rede de Pesquisadores em Telejornalismo, a Rede TELEJor da Associação Brasileira de Pesquisadores em Telejornalismo (SBPJor) e do Grupo de Pesquisa em Telejornalismo da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (INTERCOM). O livro conta com a chancela do Programa de Pós-graduação em Jornalismo (POSJOR) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

 Organizado pelas professoras Cárlida Emerim e Rita Paulino, da UFSC, este livro, intitulado Ensaios sobre Televisão e Telejornalismo (Editora Insular), com prefácio de Iluska Coutinho (UFJF/MG), reúne no primeiro capítulo GIPTele Pesquisa, os pesquisadores do grupo como Antonio Brasil (UFSC/SC), Michele Negrini (UFPel/RS), Roberta Roos (Unipampa/RS), Valquíria Kneipp (UFRN/RN) além das organizadoras. No segundo capítulo, GIPTele Convida, pesquisadores estrangeiros como John Pavlik (EUA), Marita Soto (ARG), Marie-France Chambat-Houillon (FRA), Gustavo Aprea (ARG) e Fourouzan Seban (FRA) que mantem uma interlocução de trabalho com o grupo. E, no terceiro capítulo, GIPTele Apresenta, o grupo lança quatro novos pesquisadores em telejornalismo, Ana Juliana Fontes, Beatriz Cavenaghi e Samira Moratti Frazão, formadas pelo Programa de Pós Graduação em Jornalismo da UFSC e Jhonatan Mata, formado pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Todos os pesquisadores se dedicam ao aprofundamento dos estudos sobre a televisão e o telejornalismo tratando temas como formatos televisuais, segunda tela, conceitos fundamentais em televisão e telejornalismo e analisam estudos de caso em torno dos temas centrais.

O livro já foi lançado no INTERCOM 2014, em Foz do Iguaçú (PR) e terá lançamento especial no 12º SBPJor, na cidade gaúcha de Santa Cruz dos Sul, em novembro de 2014.

 

Critérios de mídia noticiosa uma Investigação a partir da Polêmica do livro didático
Publicado em 25/09/2014 às 13:14

DEFESA DE DISSERTAÇÃO

CRITÉRIOS DE MÍDIA NOTICIOSA UMA INVESTIGAÇÃO A PARTIR DA POLÊMICA DO LIVRO DIDÁTICO

Mestranda: Wânia Celia Bittencourt                                                                               

Orientadora: Profa. Dra. Gislene da Silva

Banca examinadora

Profa. Dra. Daisi Vogel (POSJOR/UFSC), Profa. Dra. Rosana de Lima Soares (Universidade de São Paulo), Prof. Dr. Bruno Souza Leal (Universidade Federal de Minas Gerais)

Quando: 26 de setembro de 2014 , sexta-feira – 14 horas

Onde: Sala 141 , 1o. andar, prédio A (Centro de Comunicação e Expressão/UFSC)

Pesquisadores do campo da Comunicação percebem uma fragilidade no que se refere a teorias e procedimentos sobre crítica da mídia, que tem caráter esporádico e escassa discussão sobre critérios e valores. A partir de uma experiência técnico-cultural, esta pesquisa elege como objeto de estudo a crítica de mídia noticiosa e seus critérios. A pesquisa orienta-se por dois objetivos: (1) identificar critérios existentes nas falas críticas produzidas pela sociedade sobre as práticas e os processos jornalísticos; (2) fazer a crítica de mídia noticiosa, buscando identificar problemas nas notícias analisadas e inferir critérios de análise de notícias.  Toma-se como objeto empírico o acontecimento jornalístico que ficou conhecido como a polêmica do livro didático, ocorrida no Brasil em maio de 2011, dividido em dois corpus: (a) a repercussão crítica sobre as notícias, reunidas no dossiê Por Uma Vida Melhor, organizado pela ONG Ação Educativa; (b|) as notícias sobre a polêmica no Portal IG.

Galeria de fotos da Palestra do Professor Wolfgang Donsbach
Publicado em 22/09/2014 às 23:53

Fotos: Estevam Scuoteguazza/UFSC

 

 

Tópicos em Jornalismo, Cultura e Sociedade
Publicado em 20/09/2014 às 21:54

O segundo dos quatro minicursos oferecidos em 2014.2 pelo Programa de Pós-Graduação em Jornalismo inicia na terça, 26, às 8h20. Coordenado pelo prof. Dr. Paulo Bernardo Vaz, da Universidade Federal de Minas Gerais e visitante junto ao POSJOR, com aulas na sala 141 (prédio A do CCE) todas as manhãs de 23 a 26 de setembro, a disciplina “Tópicos Avançados em Jornalismo, Cultura e Sociedade: textos, mídias, mediações e processos de significação – noções teóricas e aspectos metodológicos” terá a participação de  mais três professores doutores do Programa de Pós Graduação em Comunicação da UFMG, Bruno Souza Leal, Carlos Alberto Carvalho e Elton Antunes ).

Jornalismo: prática, ensino e papel social do conhecimento moderno
Publicado em 18/09/2014 às 23:05

Por Carlos Marciano,
Jornalista e mestrando junto ao POSJOR/UFSC

 

foto 4Em meio às influências das mudanças tecnológicas, qual o papel social, como ensinar e praticar IMG_20140917_161455875jornalismo?  O Dr. Wolfgang Donsbach, da Universidade Técnica de Dresden, foi quem abordou o tema durante a aula magna do Programa de Pós-Graduação em jornalismo, realizada no dia 17 de setembro, última quarta-feira. Acadêmicos e membros do corpo docente lotaram o auditório Elke Hering, da Biblioteca Universitária,  e ao final participaram do debate com o palestrante.

De acordo com Donsbach, a principal dificuldade para suprir as questões referentes ao jornalismo moderno se deve a grande preocupação com a tecnologia e não com o conteúdo. Para suprir essas carências ele sugere algumas mudanças de atitudes.

Aprimorar as técnicas e almejar maior exatidão sobre os fatos é uma delas. Para isto ser alcançado, uma alternativa é o jornalista atuar também como um pesquisador, ou seja, procurar evidências que comprovem suas informações com mais precisão.

A crise no jornalismo também foi abordada em vários momentos da conversa. Não existe consenso sobre sua real existência e em que medida esta se aplica. No entanto, alguns pontos sobre esta suposição foram debatidos.

Um dos principais fatores foi a chegada da internet e a forma como a informação é difundida neste meio.
Ela proporcionou o que Donsbach menciona como “democratização da notícia”, ou seja, a participação mais ativa do cidadão com sugestões sobre a produção de notícias bem como a seletividade do conteúdo de interesse.

Indicadores comerciais é outro fator. Muitas vezes questões referentes à tradição comercial batem de frente com aquelas relativas às de interesse público. O professor citou como exemplo o fato de notícias perderam espaço para anunciantes, ou quando o corte de custos atinge diretamente os profissionais e como consequência gera-se a queda de qualidade no veículo.

Para Donsbach, um fator puxa o outro. Um corte nas redações, por exemplo, afetará a maneira como a imprensa cobre a realidade. Se esta nova maneira não agradar começa a se perder o conhecimento, pois o público deixa de consumir notícias e consequentemente outras formas de atraí-lo deverão ser pensadas, como o entretenimento, cada vez mais frequente.

foto 1Autores como Walter Lippmann, Jürgen Habermas e Francisco Karam (coordenador do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo) foram citados por Donsbach para embasar seus estudos, que além dos temas já mencionados trataram também de outros assuntos da área como esfera pública e informação compartilhada.

Para o professor, estimular algumas competências pode contribuir na forma de se fazer e ensinar jornalismo. Os jornalistas devem estabelecer relações entre os fatos e, no intuito de analisar a importância dos eventos e reconhecer informações relevantes, precisam saber como aprimorar capacidades analíticas, criticas e narrativas para melhor conhecimento e disseminação do tema.

É necessário entender como o mundo funciona, aprimorar a competência da causalidade que, para ele, é essencial durante a avaliação dos fatos. Deve-se estimular também a competência do processo e assim compreender como o jornalista trabalha com o público e se estas atitudes estão surtindo efeito.

Donsbach reforçou que a razão mais importante para a existência do jornalismo é a validação de informações. Assim, repensar o todo é essencial. Ações que viabilizem a produção não fazem sentido se o conteúdo não for atrativo, afinal, “até o melhor jornalismo precisa de mercado, mas se ninguém quiser ler…”.

 

Aula Magna no Mestrado e Doutorado em Jornalismo da UFSC
Publicado em 08/09/2014 às 12:53

Professor alemão vem ao Brasil falar sobre o Jornalismo como profissão do conhecimento moderno
O prof. Dr. Wolfgang Donsbach, da Universidade Técnica de Dresden, ministra a Aula Magna do segundo semestre de 2014 junto ao Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina. Donsbach vem ao Brasil a convite do POSJOR/UFSC para tratar do “Jornalismo como profissão do conhecimento moderno: interfaces entre o papel social do jornalismo, seu ensino e prática”. O evento será no dia 17 de setembro, quarta-feira, às 14h30, no auditório Elke Hering, da Biblioteca Universitária da UFSC, com tradução simultânea, entrada livre e direito a certificado.
Wolfgang Donsbach (www.donsbach.net)  é professor e fundador do Departamento de Mídia e Comunicação da Universidade Técnica de Dresden. Foi professor visitante na Universidade de Columbia, Universidade Syracuse, Universidade de Harvard e Universidade Livre de Berlim. Presidiu a Associação Mundial de Pesquisa de Opinião Pública (1995-1996) e a Associação Internacional de Comunicação (2004-2005). É o editor geral de 12 volumes da Enciclopédia Internacional de Comunicação (Wiley-Blackwell, 2008). Em 2007, recebeu o prêmio Helen-Dinerman-Prêmio WAPOR para realizações extraordinárias em pesquisa de opinião pública e, em 2008, o Prêmio David Swanson em Comunicação Política patrocinado pela política de Divisão de Comunicação da ACI.  Seus principais interesses de pesquisa são jornalismo, comunicação política e opinião pública. Doutor e pós-doutor pela Universidade de Mainz, Alemanha, é autor de vários livros, como  “O desencanto de uma profissão. O que os alemães esperam do jornalismo e como eles estão decepcionados” (2009), com Mathias Rentsch, Anna Maria Schielicke e Sandra Degen, e de inúmeros artigos científicos e capítulos de livros, entre eles “Jornalismo como a nova profissão do conhecimento e as consequências para o ensino de jornalismo” (2013) e  “A profissionalização do jornalismo é possível – e necessário. Para um novo papel do jornalismo” (2013).
Cartaz DonsbachFinal

O Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (POSJOR) informa os candidatos selecionados às Disciplinas Isoladas de 2014/2
Publicado em 07/09/2014 às 14:26

Tópicos Avançados em Jornalismo, Cultura e Sociedad: mídia e representações sociais 11 e 25 de setembro e 09 e 23 de outubro, 14h a 17:50h. Prof. Luiz Gonzaga Motta

• Ana Paula Luckman

• Ellen Sallaberry Pinto

Tópicos Avançados em Jornalismo, Cultura e Sociedade: textos, mídia, mediaçõese processos de significação – noções teóricas e aspectos metodológicos. 23 a 26 de setembro. 08:20h às 12:00h Prof. Dr. Paulo Bernardo Vaz e convidados, professores Drs. Bruno Souza Leal, Carlos Alberto Carvalho e Elton Antunes (Universidade Federal de Minas Gerais)

• Beatriz de Araújo Cavenaghi

• Dayane Regina Cordova Bazzo

• Luiza Mylena Costa Silva

• Márcia Boroski

Tópicos Avançados em Jornalismo, Cultura e Sociedade: os primórdios do Jornalismo nos países do Cone Sul 3, 10, 17 e 24 de outubro. 14h a 17:50h Prof. Dr. Mauro César Silveira

• Evandro de Assis

• Felipe Adam

Tópicos Avançados em Tecnologia, Linguagens e Inovação: a grande reportagem multimídia. 3, 10, 17 e 24 de Novembro. 14h a 17:50h Profa. Dra. Raquel Ritter Longhi

• Ana Marta Flores

• Gabriela de Mello Silva

• Lauriano Atílio Benazzi

• Marcelo Silva Barcelos

• Marcos Antônio Corbari

• Mônica Rodrigues Jorge

MATRÍCULA PARA TODOS SELECIONADOS

09/09/2014, das 14 às 18 horas, na secretaria do POSJOR, CCE, Bloco A, Sala 17, Térreo.

DOCUMENTOS PARA MATRÍCULA:

EXTERNOS À UFSC:

RG, CPF e Diploma de graduação para as inscrições em Mestrado e Diploma de mestrado

para as inscrições em Doutorado, com cópia a serem autenticados no POSJOR (CNH não é

válido).

ALUNOS REGULARES DE OUTROS PPGs DA UFSC:

Devem solicitar autorização de matrícula no Posjor e levar à secretaria do curso de origem.

Matrículas feitas sem autorização serão desconsideradas.

ESTRANGEIROS

RG, CPF e Diploma de graduação para as inscrições em Mestrado e Diploma de mestrado

para as inscrições em Doutorado, com cópia a serem autenticados no POSJOR.

São necessários ainda o passaporte e o documento que comprove situação regularizada no

País (visto de trabalho, estudante, turista, etc.)

Candidatos formados no exterior deverão apresentar comprovação de que seu diploma foi

devidamente validado por Consulado Brasileiro, conforme legislação em vigor.

A não realização da matrícula implica a perda da vaga.

NÃO HÁ COBRANÇA DE TAXAS

NÃO HAVERÁ SEGUNDA CHAMADA

Professores, mestrandos e mestres do POSJOR no Intercom
Publicado em 27/08/2014 às 11:10

Com três mil inscritos, o XXXVII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, de 1 a 5 de setembro, em Foz do Iguaçu, terá a participação de vários professores , mestrandos e mestres do programa de Pós-Graduação em Jornalismo da UFSC, que apresentam trabalhos, coordenam mesas, participam de júris e de reuniões sobre o ensino de jornalismo e a pós-graduação. Veja a programação do evento.

O prof. Eduardo Meditsch é painelista na mesa “Os desafios da implantação das diretrizes curriculares nos cursos de Jornalismo, Relações Públicas, Publicidade e Propaganda, Cinema e Rádio e TV” e participa, como representante da região sul, do painel  “Perfil do ensino de rádio no Brasil”, além de apresentar o trabalho “Semelhanças e diferenças do rádio brasileiro e português”. A profa. Cárlida Emerim  apresenta, juntamente com o mestrando lalo Homrich, o trabalho “Notas sobre edição em telejornalismo: a cobertura da violência na televisão aberta x internet”, além de coordenador e participar de várias atividades no Intercom.  A profa. Valci Zuculoto apresenta o trabalho “As rádios públicas brasileiras e o golpe de 1964”, juntamente com o estudante de graduação, Guilherme Longo, além de mediar a mesa  “Experiência radiofônicas internacionais” e ser uma das coordenadoras nacionais da “Jornada da Pesquisa Experimental em Comunicação”. A subcoordenadora do POSJOR, profa. Rita Paulino, apresenta “O sentimento revelado nas redes sociais sobre os jogos da seleção brasileira na copa do mundo de 2014: uma abordagem conceitual da teoria Ator-Rede” e participa de reuniões dos programas de pós-graduação brasileiros específicos em Jornalismo.

O mestrando Matheus Simões Mello apresenta “Em busca do equilíbrio tático: reflexão sobre a construção textual no Jornalismo Esportivo” e a mestranda Ébida Santos apresenta “Os gêneros jornalísticos e a (re) Construção da realidade no rádio: perspectivas teóricas”. As mestrandas Kérley Winques e Mariana Pires Ventura, recém ingressantes no POSJOR, apresentam trabalhos resultantes de suas graduações, a primeira na Universidade de Passo Fundo, “História da 2ª Guerra Mundial interativa e heterogênea” e a segunda na Universidade Federal de Santa Catarina, “Sinale: uma nova concepção de revista tablet para surdos”, em parceria com Mariana Chiré, trabalho finalista no Expocom.  Também apresentam trabalhos os mestres pelo POSJOR, Criselli Montipó , hoje professora na PUC do Paraná; Guilherme Guerreiro Neto e Luis Francisco Munaro , atualmente professor na Universidade Federal de Roraima).

Inscrição para disciplina isolada
Publicado em 26/08/2014 às 17:29

O Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (POSJOR) recebe nos dias 1º e 2 de setembro inscrições para disciplinas isoladas.

A atividade é concentrada e dirigida apenas a candidatos com o comprovante de Nível Superior e que não estejam matriculados como alunos regulares no programa.

Os interessados devem atentar para as seguintes condições:

- Cada candidato pode requerer matrícula em apenas uma disciplina eletiva de 1 crédito.

- Não podem requerer matrícula em disciplina isolada, candidatos que já tenham número de créditos nesta modalidade em quantidade igual ou superior a 3 (três).

- A matrícula em disciplina isolada não assegura nenhum vínculo com cursos regulares, portanto, os candidatos aceitos não farão jus a identidade estudantil ou algum dos seguintes benefícios: moradia estudantil, bolsa ou subvenção para utilização do restaurante universitário.

- O aluno matriculado em disciplina isolada terá de cumprir as mesmas exigências feitas aos alunos regulares.

ALUNOS REGULARES DE OUTROS CURSOS DA UFSC:

DEVEM ACESSAR O MESMO SISTEMA POIS, PASSAM PELO MESMO PROCESSO SELETIVO PARA DI.

AS DISCIPLINAS OFERTADAS SÃO DE 1 CRÉDITO- 15H/A E ESTÃO RELACIONADAS ABAIXO.
Caso haja matrícula em disciplinas que não estejam relacionadas, serão desconsideradas.

Mês/Dia DISCIPLINA PROFESSOR HORÁRIO H/A sala
Setembro e OutubroQuintas Tópicos Avançados em Jornalismo, Cultura e Sociedade: mídia e representações sociais 11 e 25 de setembro09 e 23 de outubro  Prof. Luiz Gonzaga Motta 14h-17h50  1501C  141
SetembroTerça a
Quinta
Tópicos Avançados em Jornalismo, Cultura e Sociedade:
textos, mídia, mediações e processos de significação –
noções teóricas e aspectos metodológicos.
 23 a 26 de setembro
Prof. Dr. Paulo Bernardo Vaz e
convidados, professores
Drs. Bruno Souza Leal,
Carlos Alberto Carvalho e
Elton Antunes (Universidade Federal de Minas Gerais)
8h20-12h 151C 141
OutubroSextas Tópicos Avançados em Jornalismo, Cultura e Sociedade: os primórdios do jornalismo nos países do Cone Sul
3, 10, 17 e 24 de outubro.
Prof. Dr. Mauro César Silveira 14h-17h50  1501C   141
NovembroSegundas Tópicos Avançados em Tecnologia, Linguagens e Inovação: a grande reportagem multimídia. 3, 10, 17 e 24 de Novembro. Profa. Dra. Raquel Ritter Longhi 14h-17h50 1501C 141

A inscrição é feita pelo site: http://www.capg.ufsc.br/inscricao/index.xhtml?cdCurso=41001052

Serão recebidas inscrições até as 23h59 (horário de Brasília) do dia 2 DE SETEMBRO de 2014, impreterivelmente. O Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da UFSC não se responsabiliza por eventuais falhas de rede na transmissão das inscrições.

O link do currículo do pretendente precisa estar ativo na Plataforma Lattes.

No ato da inscrição, os campos devem ser preenchidos assim:

“Dedicação ao Programa” – Integral

“Interesse de bolsa” – NÃO

“Orientador(a)” – O nome do(a) professor(a)da disciplina

“Informe razões para fazer a Pós-Graduação” – As razões e a disciplina escolhida.

RESULTADO FINAL: 08/09, após as 14h, no site do programa e no quadro mural do Mestrado em Jornalismo.

MATRÍCULAS: 09/09/2014, das 14 às 18 horas, na secretaria do POSJOR, CCE, Bloco A, Sala 17, Térreo.

DOCUMENTOS PARA MATRÍCULA:

Para candidatos externos à UFSC : RG, CPF e Diploma de graduação para as inscrições em Mestrado e Diploma de mestrado para as inscrições em Doutorado, com cópia a serem autenticados no POSJOR (CNH não é válido).

Para alunos regulares de outros PPGs da UFSC: DEVEM SOLICITAR AUTORIZAÇÃO DE MATRÍCULA DO POSJOR E LEVAR À SECRETARIA DO CURSO DE ORIGEM.  Matrículas feitas sem autorização serão desconsideradas.

NÃO HÁ COBRANÇA DE TAXAS

Para os estrangeiros, são necessários ainda o passaporte e o documento que comprove situação regularizada no País (visto de trabalho, estudante, turista, etc.)

Candidatos formados no exterior deverão apresentar comprovação de que seu diploma foi devidamente validado por Consulado Brasileiro, conforme legislação em vigor.

A não realização da matrícula implica a perda da vaga.

VAGAS: O docente responsável, dependendo do número de alunos regulares matriculados, seleciona os candidatos à “Disciplina Isolada”. No máximo 3.

Portanto, a inscrição não garante a matrícula.

NÃO HAVERÁ SEGUNDA CHAMADA

  • 1960 - 2010 - Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) | Central Telefônica - (48) 3721-9000
  • Última atualização do site foi em 27 de setembro 2014 - 16:23:38
SeTIC
Páginas UFSC