Matheus Mello defende tese sobre cobertura do futebol catarinense

17/09/2020 08:35

O doutorando Matheus Simões Mello defende amanhã, 18, às 14h, a tese “Complexidades identitárias em Santa Catarina: análise de narrativas de rivalidade entre times catarinenses na mídia esportiva impressa local”, pesquisa orientada pela professora Cárlida Emerim e co-orientada pelo professor Mauro César Silveira.

A pesquisa buscou entender como quatro jornais catarinenses constroem as narrativas de rivalidade entre os cinco principais clubes de futebol do estado: Chapecoense, Criciúma, Joinville, Avaí e Figueirense. Para o estudo, foram examinados 342 exemplares publicados entre 2009 e 2018. A queda do avião LaMia 2933, ocorrida em novembro de 2016 e que vitimou a delegação da Chapecoense e jornalistas esportivos, não foi incluída nas análises. A hipótese inicial era que as publicações construíram narrativas divergentes entre si, e utilizaram de características socioculturais das respectivas cidades para descrever a(s) equipe(s) conterrânea(s) e os rivais estaduais, premissa que foi parcialmente confirmada pelo pesquisador.

Compõem a banca examinadora os professores do PPGJOR Rogério Christofoletti e Jorge Kanehide Ijuim. O avaliador externo será o professor Rafael Fortes, da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). A defesa será realizada por videoconferência, respeitando as normas de distanciamento físico. Para acompanhá-la, basta acessar este link. Alunos matriculados do PPGJOR podem registrar suas presenças aqui.

Tags: Defesas

Ingrid Pereira de Assis defende tese sobre snapchat e instagram

01/08/2020 08:40

A doutoranda Ingrid Pereira de Assis defende na próxima segunda-feira, 3, a tese “Notícias autodestrutivas: produção de conteúdo jornalístico na pós-modernidade”. O trabalho é a vigésima tese de doutorado desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (PPGJOR/UFSC). A tese aborda a produção de notícias para as plataformas de redes sociais Snapchat e Instagram (Stories).

A pesquisa foi orientada pela professora Cárlida Emerim e coorientada pelo professor Pedro Almeida, da Universidade de Aveiro (Portugal), instituição onde a doutoranda realizou o período de sanduíche, entre setembro de 2019 e fevereiro de 2020.

Atendendo às orientações sanitárias excepcionais, a banca de defesa acontecerá por sistema de videoconferência, sendo aberta para assistência. Participam como avaliadores os professores Raquel Ritter Longhi e Eduardo Meditsch (ambos do PPGJOR/UFSC), José Ribamar Ferreira Júnior (UFMA) e Denis Porto Renó (UNESP). A sessão começa às 14 horas e, para acompanhar a defesa, basta entrar neste link.

Tags: Defesasmestrandos e doutorandostese

Carlos Marciano defende tese sobre jogos jornalísticos

09/07/2020 08:44

O doutorando Carlos Nascimento Marciano defende na próxima segunda-feira, 13, a tese “Da pauta ao play: proposta metodológica para o planejamento e desenvolvimento de newsgames”. O trabalho é mais uma tese de doutorado produzida e orientada no Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (PPGJOR/UFSC).

A tese marca uma década de estudos de Carlos Marciano sobre newsgames, os jogos jornalísticos, e de forma aplicada, propõe o método “Dez passos para o desenvolvimento de newsgames”. O método foi construído a partir das experiências em 10 oficinas, tendo como público alvo estudantes e profissionais que já atuavam no mercado de trabalho. Além disso, o trabalho amplia a conceituação dos jogos jornalísticos, ao definir critérios para diferenciar newsgames dos jogos embasados em notícias, e dos Serious Games, com a elaboração do Game Design Document para Newsgames (GDDN).  A pesquisa foi orientada pela professora Rita Paulino, e coorientada pela professora Raquel Longhi.

Atendendo às orientações sanitárias excepcionais, a banca de defesa acontecerá por sistema de videoconferência, sendo aberta para assistência. Participam como avaliadores as professoras Dulce Márcia Cruz (PPGE/UFSC) e Cárlida Emerim (PPGJOR/UFSC), além do professor Rogério Christofoletti (PPGJOR/UFSC). A sessão começa às 14 horas e o link para acompanhar a defesa será informado pelo Twitter do PPGJOR momentos antes do início.

Tags: Defesasmestrandos e doutorandosnewsgames

Kérley Winques defende tese sobre mediações algorítmicas e espiral do silêncio

06/07/2020 08:43

No Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador Científico, 8 de julho, a doutoranda Kérley Winques defende a tese “Mediações algorítmicas e espiral do silêncio: as dimensões estruturantes igreja e sindicato na recepção de conteúdos noticiosos em plataformas digitais”. O trabalho é a 18ª tese de doutorado produzida e orientada no Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (PPGJOR/UFSC).

A pesquisa explora os processos sociais que envolvem algoritmos e sujeitos e investiga as implicações dessa relação na recepção e na circulação de informações jornalísticas na internet, tendo em vista que essas implicações também atingem a opinião pública e performam os usos, apropriações e significados atribuídos aos conteúdos jornalísticos que encontram esses espaços. Uma das propostas é repensar alguns tópicos tradicionais da pesquisa de mídia e comunicação à luz de intervenções algorítmicas. Nesse sentido, o estudo parte do pressuposto de que o modelo de poder e exclusão formado pelos filtros algorítmicos fomentou as reconfigurações da espiral do silêncio, teoria formulada por Elizabeth Noelle-Neumann, durante o período eleitoral e após a eleição de 2018. A tese foi orientada pela professora Raquel Ritter Longhi.

Atendendo às orientações sanitárias excepcionais, a banca de defesa acontece por sistema de videoconferência, e é aberta para assistência. Participam como avaliadores os professores Claudia Irene de Quadros (UFPR), Rafael do Nascimento Grohmann (UNISINOS), Stefanie Carlan da SilveiraRogério Christofoletti (ambos da UFSC). A sessão começa às 14 horas e o link para acompanhar a defesa será informado momentos antes do início pelo Twitter do Programa.

Tags: Defesasmestrandos e doutorandospesquisa em jornalismo

Cândida de Oliveira defende tese sobre escrita no jornalismo e ditadura

16/06/2020 18:31

A doutoranda Cândida de Oliveira defende na próxima segunda-feira, 22, a tese “Poéticas da memória para um jornalismo contemporâneo: políticas da escrita em livros jornalísticos sobre a ditadura civil-militar brasileira”. O trabalho é a 17ª tese de doutorado produzida e orientada no Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (PPGJOR/UFSC).

Orientada pelo professor Jorge Kanehide Ijuim, a tese aborda a relação entre narrativas de memórias e políticas da escrita no jornalismo, focalizando os modos do (in)dizível e do (in)visível em histórias da resistência à ditadura militar brasileira publicadas no contexto da Comissão Nacional da Verdade (CNV). O trabalho propõe uma reflexão sobre o papel do jornalismo na reconfiguração do social a partir de suas potencialidades e possibilidades estético-políticas, de possíveis estímulos a sensibilidades e afetividades outras relacionadas à memória da ditadura e à própria vida comum partilhada.

Atendendo às orientações sanitárias excepcionais, a banca de defesa acontece por sistema de videoconferência, e é aberta para assistência. Participam como avaliadores os professores Marta Maia (UFOP), Reges Schwaab (UFSM), Gislene Silva e Daisi Vogel (ambos da UFSC). A sessão começa às 14 horas e o link para acompanhar a defesa será informado momentos antes do início pelo Twitter do Programa.

Tags: alunosDefesasditadura militar

Defesas de mais quatro teses acontecem em junho, julho e agosto

12/05/2020 08:39

A COVID-19 alterou drasticamente a rotina no PPGJOR, e a realização das defesas públicas de teses e dissertações é um exemplo. Se antes da pandemia, essas sessões aconteciam nas dependências do Centro de Comunicação e Expressão, agora, seguindo instruções sanitárias, elas ocorrem por sistema de videoconferência. Os avaliadores atuam de suas casas e emitem pareceres por escrito. As bancas também são gravadas, e podem ser acompanhadas pela internet em tempo real.

Neste semestre, duas defesas de tese já se deram nessas condições. O PPGJOR tem agendado mais quatro novos trabalhos de doutorado nos próximos meses:

Segunda, 22 de junho, às 14h30: “Poéticas da memória no jornalismo: a dimensão estética e política da reportagem em livro sobre a ditadura civil-militar no Brasil”, tese de Cândida de Oliveira

Quarta, 8 de julho, às 14 horas: “Sistema de mediações algorítmicas e a espiral do silêncio: implicações na recepção de conteúdos noticiosos por integrantes da Igreja Universal do Reino de Deus e professores da APP-Sindicato, após as eleições de 2018 no Brasil”, tese de Kérley Winques.

Segunda, 13 de julho, às 14 horas: “Da pauta ao play: metodologia para desenvolvimento de newsgames como mídia jornalística”, de Carlos Nascimento Marciano

Segunda, 3 de agosto, às 14 horas: “Notícias autodestrutivas: produção de conteúdo jornalístico na pós-modernidade”, de Ingrid Pereira de Assis.

Programa-se para acompanhar. Os links das salas virtuais são divulgados horas antes das sessões pelo Twitter do Programa, permitindo que a audiência se prepare para os eventos.

Tags: Defesas

Ricardo Torres defende tese sobre jornalismo investigativo e vigilância nas comunicações

08/05/2020 08:42

O doutorando Ricardo José Torres defende na próxima segunda-feira, 11, a tese “Jornalismo vigilante sob vigilância: vulnerabilidades e potencialidades do jornalismo investigativo brasileiro”. O trabalho é a 16ª tese de doutorado produzida e orientada no Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (PPGJOR/UFSC).

Orientado pelo professor Rogério Christofoletti, a tese examina ações que envolvem o jornalismo investigativo, apontando potencialidades e vulnerabilidades no ecossistema digital. Além disso, o trabalho verifica implicações da intrusão comunicacional na atividade jornalística e defende a necessidade de estímulos e convenções relacionadas com a formatação de uma cultura de riscos digitais para jornalistas.

Atendendo às orientações sanitárias excepcionais, a banca de defesa acontece por sistema de videoconferência, e é aberta para assistência. Participam como avaliadores os professores Rafael de Almeida Evangelista (Unicamp), Daiane Bertasso e Stefanie Carlan da Silveira (ambos da UFSC). A sessão começa às 14 horas e o link para acompanhar a defesa será informado pelo Twitter do PPGJOR momentos antes do início.

Tags: Defesaspesquisa em jornalismo

Criselli Montipó defende a 15ª tese do PPGJOR

03/04/2020 08:53

A doutoranda Criselli Montipó defende na próxima segunda-feira, 6 de abril, a tese “Por palavras que agem: sentidos da cidadania e direitos humanos na práxis de repórteres”. O trabalho é a 15ª tese de doutorado, produzida e orientada no Programa de Pós-Graduação em Jornalismo. O PPGJOR/UFSC passou a oferecer vagas de doutorado em 2014.

Orientada pelo professor Jorge Kanehide Ijuim, a tese se propõe a compreender os conceitos de cidadania e direitos humanos entre jornalistas brasileiros. Atendendo às orientações sanitárias excepcionais, a banca de defesa acontece por sistema de videoconferência, e é aberta para assistência. Participam como avaliadores os professores José Carlos Fernandes (UFPR), Daiane Bertasso Ribeiro e Rogério Christofoletti (ambos da UFSC).

Tags: DefesasPPGJor

Defesa de Tese» Do fotojornalismo ao jornalismo visual: uma reflexão sobre o uso de imagens técnicas no jornalismo contemporâneo

10/12/2019 10:56

A tese intitulada “Do fotojornalismo ao jornalismo visual: uma reflexão sobre o uso de imagens técnicas no jornalismo contemporâneo”, de Silvio da Costa Pereira, será defendida na sexta-feira, 13 de dezembro de 2019, a partir das 9 horas. A sessão é aberta ao público e será realizada na sala Drummond, no Bloco B do Centro de Comunicação e Expressão (CCE/UFSC).

O trabalho analisa as transformações que vêm ocorrendo nos usos e costumes relacionados à produção imagética para discutir e revisar o conceito de fotojornalismo. A abordagem parte da tradição construída ao longo do século XX, baseada em noções como a objetividade jornalística e a capacidade documental da fotografia, e as contrapõe a compreensões mais contemporâneas de fotografia, bem como busca observá-las no contexto de transformações que vêm ocorrendo no campo jornalístico. Tal discussão situa e fornece ferramental para analisar os dados oriundos de uma pesquisa de campo de corte etnográfico em três redações brasileiras, onde o autor acompanhou o trabalho de fotojornalistas e outros profissionais que captam, editam, publicam ou produzem relatos que se valem de fotografias e vídeos. O objetivo do estudo é construir uma compreensão a respeito do fotojornalismo embasada nos limites e possibilidades dados pela cultura e tecnologia atuais.

O trabalho foi orientado pela professora Drª Raquel Ritter Longhi (UFSC), e coorientado pela professora Drª Cárlida Emerim (UFSC). A banca será composta pelas professoras Drª Dulcília Buitoni (USP), Drª Flávia Guidotti (UFSC) e Drª Rita Paulino (UFSC).

Defesa de Tese» Reflexos da precarização do trabalho dos jornalistas sobre a qualidade da informação: proposta de um modelo de análise

10/12/2019 10:51

No dia 13 de dezembro, sexta-feira, a partir das 9h, na Sala Machado de Assis, no bloco B do Centro de Comunicação e Expressão (CCE/UFSC), acontece a defesa de tese “Reflexos da precarização do trabalho dos jornalistas sobre a qualidade da informação: proposta de um modelo de análise”, da doutoranda Janara Nicoletti.

O trabalho apresenta e testa uma proposta de modelo de análise da correlação entre a precarização laboral dos jornalistas e a qualidade da informação veiculada para a sociedade no produto jornalístico. Para isso, foi desenvolvida uma matriz de indicadores a partir do referencial teórico sobre precarização do trabalho, qualidade do jornalismo, condições laborais dos jornalistas e job quality. São utilizados métodos quanti-qualitativos (survey e análise de conteúdo) para coleta e interpretação de dados, e aplicadas técnicas estatísticas para exploração dos resultados e o estudo da correlação entre condições de trabalho e qualidade.

As percepções dos jornalistas sobre seu espaço laboral (condições de trabalho e rotinas), seu desempenho e satisfação foram aferidas por meio de um survey que contou com 117 respostas válidas na fase piloto e sete no pré-teste. Já a associação entre condições laborais e qualidade da informação jornalística se deu a partir da análise comparativa entre o conteúdo de um jornal brasileiro e as respostas dos jornalistas deste veículo que participaram do survey. Foi realizada uma análise longitudinal em 28 edições divididas entre os anos 2012, 2015, 2018 e 2019. Entre os resultados, constatou-se relação direta entre a tomada de decisão dos jornalistas e sua rotina de trabalho, assim como uma adaptação das escolhas à infraestrutura física disponível.

A pesquisa foi orientada pelo professor Dr. Jacques Mick (UFSC). A banca será composta pelas professoras Drª. Roseli Aparecida Figaro Paulino (USP) e Drª Valci Regina Mousquer Zuculoto (UFSC), e pelos professores Dr. Rafael do Nascimento Grohmann (Unisinos) e Samuel Pantoja Lima (UFSC).

A sessão é aberta ao público.

  • Página 1 de 2
  • 1
  • 2